Otoplastia

 
 


A posição das orelhas gera incômodo em muitas pessoas, inclusive sendo causadora de traumas psicológicos para toda vida. Felizmente, hoje tal cirurgia permite a correção do posicionamento das orelhas, conhecidas como Orelhas de Abano.

A cirurgia corrige um defeito na estrutura das orelhas, que pode estar presente desde o nascimento, tornando-se aparente com o desenvolvimento, ou trata orelhas deformadas decorrentes de trauma ou lesão. A cirurgia posiciona as orelhas mais próximas à cabeça, remove os excessos de cartilagem e esculpe as curvas, resultando em um aspecto mais natural em relação ao rosto.

A idade ideal para a correção desse tipo de malformação é a denominada “pré-escolar”, ou seja, dos 5 aos 7 anos e, tal indicação, se deve a várias razões: primeiro, porque a orelha já está totalmente formada, atingindo quase o tamanho adulto; segundo, porque evita que, na escola, a criança venha a sofrer problemas de ordem psicológica, em função de comentários ou zombarias por parte dos colegas. Todavia, nada impede que tal correção se faça em outras fases da vida.

Na avaliação é necessário que esclareça todas as suas dúvidas referente ao procedimento.
 
 

Tipos de Anestesia



Em crianças, geralmente optamos por anestesia geral, pela dificuldade de deixar a criança parada ou obediente aos comandos. Em adultos, local com sedação. É importante salientar que em nenhum caso o paciente fica acordado ou sente qualquer desconforto durante a cirurgia.
 
 

A Cirugia



A cirurgia dura em média 60 minutos e a alta vai depender do tipo de anestesia: se local, alta no mesmo dia; se anestesia geral, alta após 24 horas. É feita uma incisão na face posterior da orelha, de onde retira-se um pequeno fuso de pele e realizam-se a ressecção do excesso de cartilagem e os pontos necessários para a correção da forma da mesma. Depois, realiza-se a sutura da pele e um curativo compressivo ao redor da cabeça, a fim de evitar hematomas e trauma nas orelhas. Tal curativo é retirado no dia seguinte e o paciente vai embora com uma faixa tipo bailarina ou tenista por sobre as orelhas./h6>
 
 

A Recuperação



Normalmente é muito boa e rápida recuperação. Geralmente não há a ocorrência de dor; e em havendo, debela-se com uso de analgésicos comuns. Lembrar sempre que um lado do corpo nunca é igual ao outro, assim, uma pequena assimetria é possível de ser observada mesmo após a cirurgia, o que também ocorre com as pessoas que têm orelhas normais, já que não existe simetria absoluta na natureza.

A cicatriz desse tipo de cirurgia é imperceptível, em razão de localizar-se atrás da orelha, no sulco formado por esta e o crânio. Sendo uma região de pele muito fina, a tendência da cicatriz é ficar quase inaparente.

É importante que o paciente use a faixa de proteção das orelhas nos primeiros 15 dias, inclusive durante o sono. Após esse período, apenas dormirá com a faixa por mais 15 dias.